Sunday, 9 October 2016

Interrail - o início | Cinque Terre


1 mochila de 40L. 4 t-shirts. 1 vestido. 2 pares de calças. 2 pares de sapatos. 2 soutiens. 12 cuecas. 1 bikini. 1 acessório {pulseira de interrail}. 10 pares de meias. 1,2kg de tâmaras. 600g amendoins. 1L água. 1 sandes. 2 bananas. 1 maçã. 1 abraço apertado. 2 beijios saudosos. 1 sorriso. 7 amigos. 1 viagem. Façamo-nos à Europa.
A aventura começou no Porto. Apanhámos um voo às 6h30 em direcção à cidade da moda e da máfia - Milão. Sai do aeroporto entra em autocarro apanha comboio troca para comboio faz uma amiga italiana e começa a aventura em Cinque Terre.



Começámos em Levanto e fomos até Riomaggiore, entrando e saindo de comboio. Tínhamos apenas umas meras 4h30 para conhecer as cinco terras e apreciar este maravilhoso património. Em Levanto (que não pertence concretamente às Cinque Terre) começavam a aparecer os montes onde saltavam à vista as casas coloridas e em tons pastel. No final da descida percorrida desde a estação, chegámos à praia. A ideia com que ía tornou-se realidade: praia rodeada por uma montanha, mar que relembrava uma piscina e o ambiente mais pacato e descontraído que se podia viver. 
Check em Levanto e hora de seguir para a primeira (se vierem de Norte) terra oficial das Cinque Terre:  Monterosso Al Mare. 




Três palavras: Oh.Meu.Deus. Fiz o primeiro mergulho no mar Lígure e não escolheria outra terra para tal. Um mar que nos fazia querer ficar até a pele enrugar. Uma autêntica piscina gigante. O problema de todo o espaço do "areal" (sem areia e com muitas pedras como na praia fluvial) estar coberto de turistas a trabalhar para o bronze deixou de ser um problema assim que entrei na água e só saí para apanhar o comboio para a terra seguinte. 



Se achava que não podia melhorar, Manarola mostrou-me como estava enganada. Vernazza ficou por visitar porque o comboio não parou... O nosso descontentamento com esta perda foi compensado com uns mergulhos na terra dos mergulhadores loucos e corajosos. Rodeada por penhascos, Manarola é o local ideal para os aventureiros capazes de mergulhar a partir de alturas de 20m ou mais! Eu fiquei apenas a apreciar o espectáculo com as casas coloridas em plano de fundo e aproveitei para dar mais umas braçadas extremamente relaxantes para quem tem de carregar um mochilão várias horas seguidas.







O tempo começava a escassar por isso decidimos deixar Corniglia por conhecer (envolvia subir muito e não dar mergulhos) e avançar para Riomaggiore. E que bela decisão. Chuveiros para tomarmos banho e secarmos com o entardecer. Local perfeito para as primeiras grandes fotos do interrail. Riomaggiore é o sítio para terminar em beleza as Cinque Terre. Os italianos sabem como aproveitar bem as pequenas coisas. Sentados nas rochas à beira mar, acompanhados de uma boa pizza italiana ou massa e vinho, ali estavam, a apreciar a comida, a conversa e a vista. Fomos presenteados com um dos melhores pores-do-sol a que já assisti e que me fez apaixonar por estas terras italianas. Saí em direcção a La Spezia com a promessa que voltaria. 







De La Spezia partimos para Firenze onde passámos a noite na estação como verdadeiros mochileiros. É para viver a aventura a sério ou não? Tomar banho com gel depois de uma tarde de praia? Isso é para asseados. Dormir numa cama num hostel? Isso é para ricalhaços. O verdadeiro mochileiro dorme nas estações e anda com as suas melhores amigas atrás, as toalhitas.
Os próximos dias da viagem irão aparecer brevemente. Até lá! :) 
  

1 comment:

  1. Uau, que fotos! Esse pôr-do-sol, essas vistas, essas praias, essas paisagens tão verdes... Deve ter sido realmente incrível! Adorei o texto e as ilustrações, venha o resto :)

    ReplyDelete